segunda-feira, 15 de agosto de 2022

Lawrence Kasdan - “O Caçador de Sonhos” / “Dreamcatcher”


Cinema - 471

Lawrence Kasdan
“O Caçador de Sonhos” / “Dreamcatcher”
(EUA – 2003) – (112 min./Cor)
Morgan Freeman, Thomas Jane, Jason Lee, Damian Lewis, Tom Sizemore.

Lawrence Kasdan, quando realizou "O Caçador de Sonhos" / "Dreamcatcher", nunca sonhou que esta iria ser uma película tão mal amada pela crítica cinematográfica, que o arrasou nas críticas, mas que também irá contar com a fuga do público, incluindo dos seus fans, revelando-se o filme um desastre financeiro de tal ordem que irá fazer com que o cineasta esteja durante uma década sem realizar.


A incursão de Lawrence Kasdan pelo território do Cinema de Terror, usando Stephen King como padrinho, num filme onde temos cenas verdadeiramente atrozes e de um mau gosto inacreditável, levam o cinéfilo a comparar esta película com a obra-prima de John Carpenter "The Thing" e, inevitavelmente, percebemos onde o cineasta acidental falhou, já que em ambos os filmes temos imensos pontos de contacto, para além de Lawrence Kasdan ter esquecido os ensinamentos desse genial Mestre do Terror chamado Jacques Tourneur.

Rui Luís Lima

Edward Hopper - "Notre Dame de Paris"


Arte - 145

Edward Hopper
"Notre Dame de Paris"
Óleo sobre tela
59,7 x 72,4 cm
Ano: 1907
Whitney Museum of American Art, New York

Anouar Brahem - "Conte de L'Incroyable Amour"


Música - 267

Anouar Brahem
"Conte de L'Incroyable Amour"
ECM Records
1992

Anouar Brahem - oud.
Lassad Hosni - bendir, goblet drum.
Barbaros Erköse - clarinet.
Kudsi Erguner - ney.

Jack Kerouac - “Scattered Poems”


Livros - 203

Jack Kerouac
“Scattered Poems”
Páginas: 80
City Lights Books

O livro “Scattered Poems” é uma colectânea de poesia de Jack Kerouac organizada por Ann Charters que tem dedicado grande parte da sua vida a escrever sobre a geração Beat, sendo o seu livro mais conhecido “The Penguin Book of The Beats”.

Jack Kerouac que ficou famoso com o seu “On The Road” / “Pela Estrada Fora”, embora seja mais conhecido pela sua prosa, possui também uma excelente obra poética e neste livro de bolso da famosa colecção ”Pocket Poet Series” da editora City Lights, de San Francisco, fundada por Lawrence Ferlinghetti, encontra-se representado nesta colecção com diversos volumes, sendo este, precisamente, o que nos oferece uma visão mais vasta do seu trabalho poético.

Em "Scattered Poems", Jack Kerouac oferece-nos uma viagem por esse mesmo território poético num arco temporal de 1945 a 1970, onde descobrimos poemas como “Pull My Daisy” (tente também ver o fabuloso filme de Robert Frank, com o mesmo título), “Rimbaud”, “To Harpo Marx”, entre outros, para além dos famosos “San Francisco Blues”, assim como os seus célebres “Haikus”.

Rui Luís Lima

Jan de Bont - “Lara Croft: Tomb Raider – O Berço da Vida” / “Lara Croft: Tomb Raider – The Cradle of Life”


Cinema - 470

Jan de Bont
“Lara Croft: Tomb Raider – O Berço da Vida” / “Lara Croft: Tomb Raider – The Cradle of Life”
(EUA / Grã-Bretanha / Japão / Alemanha – 2003) – (117 min./Cor)
Angelina Jolie, Gerard Butler, Chris Barrie.

Jan de Bont, mais conhecido como director de fotografia, terminou por saltar para a fama após realizar a película “Speed – Perigo a Alta Velocidade”.


Esta segunda aventura de Lara Croft no cinema terminou por ser a quinta e última película realizada por Jan de Bont, até à presente data.

Rui Luís Lima

António Carlos Jobim - "Jobim"


Música - 266

António Carlos Jobim
"Jobim"
MCA Records
1973

Ernest Hemingway - "O Velho e o Mar" / "The Old Man and The Sea"


Livros - 202

Ernest Hemingway
"O Velho e o Mar" / "The Old Man and The Sea"
Prefácio/Tradução: Jorge de Sena
Ilustrações: Bernardo Marques
Páginas: 133
Livros do Brasil
1974

Foi com esta edição dos Livros do Brasil que descobri a escrita de Ernest Hemingway no liceu em 1975, quando decidi fazer um trabalho de análise sobre este livro para a disciplina de Português e desde então tornei-me um leitor de Hemingway.

Spencer Tracy
(1900 - 1967)

Lido e relido este livro de Hemingway, o seu protagonista, esse velho pescador passou a ter o rosto de Spencer Tracy, após ter visto o fabuloso filme realizado por John Sturges em 1958.

Rui Luís Lima

Wolfgang Becker - “Adeus Lenine” / “Good Bye Lenin!”



Cinema - 469

Wolfgang Becker
“Adeus Lenine” / “Good Bye Lenin!”
(Alemanha – 2003) – (121 min./cor)
Daniel Bruhl, Katrin Sass, Chulpan Khamatova.

domingo, 14 de agosto de 2022

Anouar Brahem - "Barzakh"


Música - 265

Anouar Brahem
"Barzakh"
ECM Records
1991

Anouar Brahem - oud.
Lassad Hosni - percussion.
Bechir Selmi - violin.

Nuno Júdice - “O Estado dos Campos”


Livros - 201

Nuno Júdice
“O Estado dos Campos”
Páginas: 154
Dom Quixote

Foi na década de setenta, do século xx, que descobri a poesia de Nuno Júdice, na colecção “Cadernos de Poesia” das Publicações D. Quixote, tratava-se precisamente do seu primeiro livro de poemas intitulado “A Noção de Poema” e desde então tornei-me um leitor fiel da sua obra poética como da restante obra em prosa e teatro, recordo-me do magnífico “Última Palavra: «Sim»” saído nas edições & Etc, ou o fabuloso “Plancton” na editora Contexto.

Nuno Júdice nasceu para o universo público nas páginas do Diário de Lisboa em 1967, onde outros nomes da mesma geração, hoje consagrados, ofereceram os seus primeiros trabalhos poéticos. Mantendo intensa actividade crítica com inúmeros ensaios publicados em jornais e revistas, o poeta mantém uma regularidade e uma qualidade poética que merecem ser referidos, onde a Literatura é uma constante presença através da sua História, mas também através das inúmeras referências românticas, que servem tantas vezes de ponto de partida para poemas que se guardam na memória com enorme carinho. Aqui vos deixo o meu poema favorito da obra “O Estado dos Campos”, saído em 2003.

Rui Luís Lima


Retrato de Mulher à Luz da Tarde

O poeta épico e o poeta dramático, disse
Goethe, estão submetidos às mesmas leis gerais. No
entanto, se cada um deles conduz o poema
até ao seu desfecho sem uma hesitação,
ou antes, limitando a dúvida ao que se passa
no espírito quando o amor, com a sua certeira
seta, o fere, já as palavras são diversas. Não é o mesmo
descrever a emoção com as imagens que ela sugere,
ou transformá-la num discurso lógico, que obriga
quem o faz a utilizar o raciocínio, deixando
para depois o sentimento. A construção é o mais
simples, neste processo, desde que o princípio
corresponda à verdade que faz parte da vida
de quem ama. O difícil é transpor a ponte
que nos conduz ao outro: refiro-me a ti, que
me esperas desse lado, por trás das árvores
e das flores do jardim, com o sol a iluminar-te
o rosto. É uma imagem simples: retrato
de mulher à luz da tarde. Mas sinto-me obrigado
a dar uma outra dimensão à figura humana,
puxando-a para o convívio da minha alma. Aí
as coisas ganham a profundidade de uma relação
abstracta, despida dos aspectos materiais, e
dos obstáculos que a realidade nos coloca. A
perfeição nasce das frases que o verso trabalha, com
o ritmo de uma respiração serena. Por fim, a
imagem adquire uma beleza própria, que foge
à própria fonte. E ao vê-la, pergunto: ainda és tu? Ou
foste roubada a ti própria por esta luz com que o poema
te envolve? Mas deixo-me de questões teóricas - e
atravesso a ponte, deixando para trás imagens e
discursos. É que do outro lado as leis gerais não
contam, e são-me indiferentes os problemas que se
colocam ao poeta, épico ou dramático. Puxo-te
pela mão - e saímos da moldura, para dentro da vida.

Nuno Júdice
in "O Estado dos Campos"

Woody Allen - “Anything Else – A Vida e Tudo Mais” / "Anything Else"


Cinema - 468

Woody Allen
“Anything Else – A Vida e Tudo Mais” / "Anything Else"
(EUA/Grã-Bretanha/França – 2003)
Jason Biggs, Christina Ricci, Woody Allen, Danny DeVito, Stocking Channing.

Mantendo um ritmo de um filme por ano, já lá vão várias décadas, o cineasta Woody Allen oferece a Jason Biggs o protagonismo neste filme em que vamos acompanhar a vida atribulada (profissional e amorosa) de um jovem argumentista, que tem no seu agente uma sanguessuga terrível (fabulosa composição de Danny DeVito), na namorada (Christina Ricci) uma verdadeira “dor de cabeça” e na personagem criada por Woody Allen o amigo mais velho em quem confia, mas a vida está quase sempre recheada de surpresas, como a chegada da futura sogra e não só…

Rui Luís Lima

Édouard Manet - "La Serveuse de bocks"

 

Arte - 144

Édouard Manet
"La Serveuse de bocks"
Óleo sobre tela
77 x 64,5 cm.
Ano: 1878-1879
Musée d'Orsay, Paris

Jobim - "Antonio Brasileiro"


Música - 264

Jobim
"Antonio Brasileiro"
Columbia
1994

"Estórias da Playboy - O Melhor de Quarenta Anos de Ficção"

 
Livros - 200

"Estórias da Playboy - O Melhor de Quarenta Anos de Ficção"

Apresentação de Alice K. Turner

Contos de: Philip Roth, Jorge Luis Borges, Nadine Gordimer,
Gabriel Garcia Marquez, Norman Mailer, Haruki Murakami,
Ursula K. Le Guin, James Baldwin, James Jones,
Jack Kerouac, John Cheever, John Irving,
Jay McInerney, Joyce Carol Oates, John Updike,
Joseph Heller, Paul Theroux, Issac Bashevis Singer,
Irwin Shaw, Nelson Algreen, Charles Beaumont,
T. Coraghessan Boyle, Ray Bradbury, John Collier,
Laurie Colwin, Robert Coover, Roald Dahl,
Andre Dubus, Bruce Jay Friedman, Herbert Gold,
Bernard Malamud, Shirley Jackson, Charles Johnson,
Richard Matheson, Thomas McGuane, Bharati Mukherjee,
Sean O'Faolain, James Thurber, Bob Shacochis.

Círculo de Leitores

Philip Roth

A célebre revista "Playboy" desde o seu primeiro número que inclui uma "short-story" de um escritor e se inicialmente esses contos já tinham visto a luz do dia noutras publicações, rapidamente Hugh Hefner decidiu que o melhor mesmo seria apresentar originais e assim se iniciou ao longo de décadas a publicação de contos oriundos das mais diversas proveniências literárias, como se pode verificar por esta fabulosa antologia.

Jorge Luis Borges

Mas se o leitor espera vir encontrar por aqui contos eróticos, digo-lhe já que se encontra profundamente enganado, porque o que navega neste oceano é Literatura e basta fixar os nomes incluídos nesta colectânea para ficar tudo dito.

Nadine Gordimer

A terminar uma última palavra para a organizadora deste "Estórias da Playboy - O Melhor de Quarenta Anos de Ficção". Alice K. Turner para além de nos apresentar a "estória" de como surgiu a ideia de se incluir "short-stories" na Playboy, conta-nos também no final de cada conto, como surgiram os seus autores a escrever na revista, sendo curioso que alguns dos contos foram recusados pela "New Yorker", que na época era bastante conservadora, tendo os escritores optado por os publicarem na "Playboy" como foi o caso de John Updike.

Gabriel Garcia Marquez

Ao (re)ler com mais atenção esta fabulosa antologia, fiquei bem curioso em descobrir novos escritores que por aqui surgem e que me fascinaram e dos quais darei nota em post próprio.

Jack Kerouac

A finalizar de referir que a opção de Alice K. Turner foi de escolher um conto por cada ano de publicação e sempre de um autor diferente, o que nos permite uma maior variedade de escritores, assim como de viajar de forma temporal nesta bela e inesquecível viagem literária.

Rui Luís Lima

Richard Curtis - “O Amor Acontece” / “Love Actually”


Cinema - 467

Richard Curtis
“O Amor Acontece” / “Love Actually”
(EUA/Grã-Bretanha/França – 2003)
Colin Firth, Hugh Grant, Alan Rickman, Emma Thompson, Laura Linney.

Richard Curtis, famoso argumentista da televisão e cinema britânicos, recorde-se que esteve envolvido desde sempre no famoso “british boom”, que todos os anos oferece um “filme sucesso”, de preferência com uma estrela americana, para alimentar as plateias e aumentar as receitas dos produtores e assim foi com naturalidade que o encontramos a assumir a realização deste filme repleto de altos e baixos, onde o melhor habita com o péssimo e o sofrível se salva.


Assim temos o melhor com o segmento que tem Emma Thompson e Alan Rickman como protagonistas e aqui confesso que sempre que oiço a Joni Mitchell me recordo deles; o sofrível no episódio em registo de comédia em que o Primeiro-Ministro é interpretado por Hugh Grant e por fim o inenarrável segmento em que Colin Firth e Lucia Moniz contracenam e o realizador nos oferece um retrato dos portugueses verdadeiramente inacreditável!


Nota: Temos mais episódios, em “O Amor Acontece” / “Love Actually”, mas são estes três segmentos do filme realizado por Richard Curtis, que me merecem a atenção.

Rui Luís Lima

Antonio Vivaldi - "Music for Lute and Mandolin"


Música - 263

Antonio Vivaldi
"Music for Lute and Mandolin"
Hypérion
1986

The Parley of Instruments
Maestros - Roy Goodman / Peter Holmar

- Double Mandolin Concerto in G
- Mandolin Concerto in C
- Lute Concerto in D
- Viola d'Amore and Lute Concerto in D Minor
- Two Trios for Lute, Violin and Continuo.

Paul O'Dette - lute, mandolin
Robin Jeffrey - mandolin
Mark Claudle - cello
Amanda MacNamara . bass
Peter Holmes - organ
Judy Tarling - viola
Roy Goodman - viola d'amore, violin
Miles Golding - violin
Theresa Claudle - violin

Bernard Prince - "O Porto dos Loucos" - Hermann / Greg

Banda Desenhada - 84

"O Porto dos Loucos"
Herói: Bernard Prince
Argumento: Greg
Desenho: Hermann
Páginas: 48
Asa / Público

Lars von Trier - “Dogville”

Cinema - 466

Lars von Trier
“Dogville”
(Holanda / Dinamarca / Grã-Bretanha / Finlândia / Suécia / Alemanha / / Itália / Noruega – 2003)
(178 min./Cor)
Nicole Kidman, Paul Bettany, Lauren Bacall, Jean-Marc Barr.

Quando Lars von Trier decide “despojar” um filme de todos os seus elementos habituais, partindo para uma proposta radical de Cinema, com um argumento bem carpinteirado e uma actriz de Hollywood no elenco chamada Nicole Kidman e uma “star” do cinema clássico chamada Lauren Bacall, nasce “Dogville”!


Nicole Kidman entusiasmou-se tanto com Lars von Trier e o seu radicalismo, que até assinou contrato para três filmes, segundo os mesmos princípios estéticos do cineasta dinamarquês, mas depois ao regressar a Hollywood, arrependeu-se e ficou-se apenas por este “Dogville”, para um dia o recordar nas suas memórias.

Rui Luís Lima

Edward Hopper - "Le Pont des Arts"


Arte - 143

Edward Hopper
"Le Pont des Arts"
Óleo sobre tela
58,6 x 71,3 cm.
Ano: 1907
Whitney Museum of American Art, New York

Aparis - "Despite The Fire-Fighters'Efforts..."


Música - 262

Aparis
"Despite The Fire-Fighters'Efforts..."
ECM Records
1993

Marcus Stockhausen - trumpet, flugelhorn.
Simon Stockhausen - keyboards, soprano saxophine.
Jo Thones - drums, electronic drums.